Kennel Clube do Estado do Pará

Breve Histórico

Há aproximadamente três décadas atrás, estava eu me associando ao Kennel Clube movido pela paixão que sempre tive pelos animais, especialmente pelos cães e mais especificamente pelas raças “Pastor Alemão e Collie Pelo Longo”. Logo queria reunir todos os livros, revistas e artigos referentes a estas raças, isto foi o preâmbulo para me envolver nas exposições cinófilas a princípio como expositor, depois como diretor do clube e em seguida como juiz da Confederação Brasileira de Cinofilía. Durante esse período fiz todos os caminhos das pedras,  e explico:

Cumpri com todos os prazos, quesitos e pré-requisitos exigidos para isso, ou seja, seguir todas as exigências do Clube e da Confederação pré-estabelecidas para a conclusão desta trajetória e, confesso que foi uma época de muitas descobertas, muitas surpresas, alguns sustos e dissabores. Mas as recompensas sempre mais gratificantes me fizeram seguir em frente.1
Para mim, a principio, a cinofilía como um todo seria um lazer embora o meu “sexto-sentido” já me desse a luz de que algo não seria assim, pois, todas as associações de pessoas com mentes e pensamentos diferentes nem sempre estão dispostas a ver essas diferenças a luz da razão e nesse universo em que as pessoas opinam “e acham” sem o conhecimento preciso das coisas fazem desses “achologia” também sua verdadeira e única razão para defenderem determinados assuntos os quais discordam. Vi assim este Kennel passar por muitas fases de altos e baixos, passamos de um Kennel praticamente itinerante quando muitas das vezes não sabíamos exatamente onde estava funcionando e chegamos com muito esforço a ter uma sede própria, um local físico adequado para o funcionamento administrativo cartorário, sala de reuniões, espaço para confraternizações, etc.

E hoje nada mais disso existe, extinguindo assim essa fase áurea do clube , quando as exposições eram de glamour, isso não era só interessante a nível visual mas sem sobra de dúvida conferir a credibilidade a sociedade proporcionando solidez produzindo assim a confiança de todos os investidores, não me refiro somente aos patrocinadores mas a todos os seguimentos envolvidos direta ou indiretamente na realização dos eventos como expositores, servidores, árbitros, etc..

Consequentemente com esse declínio tivemos vários fatos regionais e nacionais , como as grandes cisões que mesmo após terminados os conflitos e aparadas as arestas é inegável que também isto fomentou a formação de novas associações, enfim, remexeram devagar sobre o passado e nada vai contribuir para melhorarmos o futuro, temos que nos deter em consolidar uma nova fase que deve ser pautada pela ética e o acolhimento de todos que tiverem imbuídos em agregar qualquer valor no sentido de fortalecer o clube. Temos sim, é que com o devido discernimento evitar os pseudos colaboradores que tenham a finalidade precípua de obter vantagens para atingir o estrelato, estrelas em nosso clube devem ser os cães vencedores em algum nível de nossas exposições pautados exclusivamente em suas características padrão com a observação ética de todos os seguimentos envolvidos (expositores, handless, árbitros, dirigentes, etc.) , sem dúvidas esses fatores é que determinam e sustentam a existência dos Kennel’s Clubes bem como o nosso.

Por, Carlos Leão em 20/11/2016

Diretor de Raças